“TEMPO TEMPO TEMPO TEMPO”

Tal qual um “compositor de destinos”, em citação à canção de Caetano Veloso – pelo menos no que reside nos limites da forma física –, Dr. Hélio Novais avalia, em entrevista, a busca pelo rejuvenescimento através de tratamentos estéticos e cirurgias plásticas.

Há quase trinta anos trabalhando em respeito aos códigos de ética da Medicina, Dr. Hélio Novais tem visto, literalmente, o tempo passar. Depois de inúmeras transformações de comportamento e avanços científicos e tecnológicos observados e exercitados em seu cotidiano, o tempo tem sido a matéria-prima mais desejada pelos pacientes que atende. Entretanto, no dia-a-dia da Clínica Corporal, espaço que criou e dirige desde 2001, tais pacientes, sobretudo mulheres, refletem o significado desta medida de duração, por vezes, carregado de extremos. Hoje, as pessoas parecem estar contra o tempo numa busca desenfreada pelo rejuvenescimento, o que, para Dr. Hélio, não é de todo ruim.

Em entrevista concedida à agência vOceve Multicomunicação, ele faz um balanço das necessidades humanas em torno da estética e cirurgia plástica, pondera as polêmicas que acompanham esta área e avisa: “Sem a beleza dos sentimentos, palavras e ações, ainda que seja admirável exteriormente, o homem se torna um ser desfigurado”. É o tempo, portanto, que também faz de Dr. Hélio uma referência moral em seu campo de trabalho e o credencia para tal afirmação.

vOceve Multicomunicação - Na busca de um ideal de beleza, quais têm sido as principais necessidades esboçadas pelas mulheres? Quais procedimentos e mudanças físicas são os mais solicitados atualmente?
Dr. Hélio Novais - Como obra-prima da criação, toda pessoa traz dentro de si o desejo do belo, da harmonia de formas, da preservação da vida e de uma busca contínua de aperfeiçoamento e rejuvenescimento. Em geral, as mulheres procuram meios de melhorar a silhueta, eliminando as gorduras localizadas e esculpindo o corpo de modo a atingir a tão desejada harmonia das formas. A forma, o aspecto e os volumes das mamas são de grande importância na vida delas por ser referencial de feminilidade. Logo, a lipoescultura, a mamoplastia e a inclusão de próteses mamárias são os procedimentos mais solicitados no momento.

vOceve - Por que tantas mulheres, hoje, veem a cirurgia plástica e os serviços modernos de estética como elixir para manter uma juventude eterna? Este é um pensamento positivo?
HN
- A meu ver, não se trata de considerar a cirurgia plástica e a medicina estética como elixir para manter a juventude eterna, mas de compreender que estas especialidades médicas são caminhos seguros para alcançar a meta desejada. Percebemos que há um reconhecimento do valor destas ciências e isto é que é muito positivo.

vOceve - Na sua opinião, ainda existe uma ditadura da estética? As mulheres se sentem pressionadas a serem perfeitas ou hoje a diversidade já é mais aceitável?
HN
- A busca pela perfeição não é uma pressão externa exercida sobre as mulheres, mas sim, conforme já falamos, um clamor que brota no interior de cada pessoa. Não há ditadura. Há busca pela autossatisfação, pela harmonia do corpo e da mente, adequadas a cada pessoa de forma particular. Hoje, há mais recursos acessíveis e maior número de profissionais especializados. As informações, consequentemente, se tornam mais fáceis e se torna natural recorrer à cirurgia plástica e medicina estética.

vOceve - De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBPC), dos 629 mil procedimentos cirúrgicos estéticos realizados no Brasil entre setembro de 2007 e agosto de 2008, 37.740 (ou 8%) foram feitos em adolescentes uma busca constante de mulheres cada vez mais jovens, inclusive adolescentes, buscando tratamento estético e até intervenções de cirurgia plástica. O assunto causa polêmica. Qual deve ser o posicionamento do médico e como os pais destas jovens devem agir?
HN
- Os avanços em termos de tecnologia e comunicação favorecem o conhecimento e acesso aos recursos médicos, de forma que atualmente as buscas por eles se iniciam cada vez mais cedo. Paralelamente, há também avanços importantes em equipamento de segurança, medicamentos e técnicas eficazes que possibilitam a realização dos procedimentos em qualquer faixa etária. Cabe ao médico avaliar a necessidade e viabilidade do tratamento desejado e, aos pais, cabe a tarefa de orientar seus filhos os ajudando a encontrar o melhor caminho que os conduzirão à restauração física e psicológica almejada.

vOceve - Na busca por elevar a autoestima, quais são os riscos de se optar por cirurgias plásticas? E qual deve ser o posicionamento ético do médico responsável pelos procedimentos?
HN
- Os riscos dos procedimentos estão relacionados com a condição clínica do paciente, com a abrangência do procedimento a ser realizado, com a capacitação técnica da equipe e com os recursos do local onde será realizado o procedimento. O paciente deverá ser submetido a uma boa avaliação clínica e o planejamento do procedimento deve ser feito dentro de padrões de segurança e eficácia dos resultados. A realização de múltiplos procedimentos deve ser evitada sempre que possível. Quando a indicação é criteriosa, os riscos são minimizados.

vOceve - A mídia tem explorado saldos alarmantes de complicações e óbitos por conta de cirurgias plásticas mal conduzidas, especialmente em lipoaspirações. A que você atribui estas notícias: à banalização da cirurgia, aos médicos inescrupulosos ou ao fato de que toda cirurgia plástica tem seu risco?
HN
- Nos últimos anos, houve um aumento significativo no número de procedimentos, em particular, a lipoescultura. Este aumento tem como consequência a probabilidade de uma ampliação também no número de complicações. Segundo a estatística da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, em 90% dos casos de complicações documentados, os procedimentos foram realizados por profissionais que não são especializados e, portanto, sem capacitação técnica adequada para realização do procedimento com a devida segurança. Considerando-se que a lipoaspiração é a cirurgia de maior incidência no mundo atual, e confrontando o número de procedimentos com o número das complicações, conclui-se que este resultado não é alarmante, ao contrário, ele é muito pequeno. Por se tratar de cirurgia em evidência, torna-se alvo dos noticiários. Entretanto, o médico consciente de estar a serviço da vida tem a obrigação e o dever de buscar, a todo custo, preservar a segurança do seu paciente, evitando uma lipoaspiração de área muito extensa no corpo e procedimentos múltiplos de grande porte.

vOceve - Quais os aspectos positivos e as ressalvas em relação ao uso do famigerado botox?
HN
- A palavra famigerada é indicativa de muita fama, porém, em geral, se refere à má fama. Quanto a ser de muita fama é real esta afirmação, pois Botox é uma das substâncias que mais se comercializa no mundo atual. No que se refere à má fama não tem fundamento, pois Botox é uma substância de múltiplas utilizações terapêuticas, de baixo risco e poucas complicações. É um grande recurso no campo da medicina estética, com alto grau de satisfação dos pacientes e melhora da autoestima. O uso do Botox não se limita ao campo da medicina estética, mas se estende a outras especialidades médicas como, por exemplo, a neurologia, com resultados muito satisfatórios. Alvo de muitas pesquisas, certamente, no futuro, será alargado o leque de aplicação do botox com grandes benefícios em várias áreas da medicina.

vOceve - Outro procedimento muito solicitado é a colocação de prótese de silicone nos seios. Mas muitas mulheres têm relacionado o procedimento ao surgimento de câncer de mama. Existe alguma relação efetiva entre uma coisa e outra?
HN
– Não. Até o momento não há publicação de trabalhos que estabeleçam relação entre a inclusão de próteses mamárias e o surgimento de câncer de mama. Entretanto, antes de indicar o procedimento, o médico deverá fazer uma investigação minuciosa das mamas, incluindo a mamografia e/ou a ultrassonografia mamária. Há um mito que estabelece a relação de próteses mamárias com o prejuízo na realização do autoexame e, conseqüentemente, ao diagnóstico precoce do câncer. Isto não é real. O exame físico pode ser feito de forma eficaz, como também não há impedimento para a realização dos exames de diagnóstico.

vOceve - Com o advento do comportamento metrossexual, como está o nível de procura dos homens por tratamento estético na Clínica Corporal? Existe uma porcentagem significativa?
HN
- Nos últimos anos houve um aumento expressivo no número de pacientes que procuraram usufruir dos recursos da cirurgia plástica e medicina estética. Afinal, a beleza não é atributo exclusivo das mulheres. Toda pessoa, seja homem ou mulher, tem o desejo do belo, no entanto, devido aos preconceitos, tabus e outros fatores condicionantes do comportamento social, os homens negaram a si mesmo o direito de buscar sua realização no campo da estética. Vencidos estes fatores, progressivamente cresce o número de homens que recorre a tratamentos estéticos, principalmente à lipoaspiração, aplicação de botox e preenchimentos faciais.

vOceve - Para o senhor, depois de quase trinta anos de carreira renomada, qual o perfil ideal de beleza para o século XXI?
HN
- A beleza não é apenas a harmonia da forma exterior. Vai muito além, envolvendo toda a existência humana e somente pode ser alcançada pela graça de Deus. O homem do século XXI precisa se voltar para seu Criador e redescobrir o verdadeiro sentido da vida. Sem a beleza dos sentimentos, palavras e ações, ainda que seja belo exteriormente, o homem se torna um ser desfigurado.

Entrevista e edição: Marco Antonio J. Melo
Revisão: Monik Milany (DRT-BA 2850)


TRAJETÓRIA DR. HÉLIO NOVAIS - COMPETÊNCIA E RESPONSABILIDADE